sexta-feira, 4 de janeiro de 2013



Espera a chuva passar estando nos braços do amor
Inunda o corpo com fluidos dos corpos que sem limites amam
As gotas que se espalham ao se arrebentar no chão
Assim são as vestes dos amantes que sem razão se agarram
Desnudos e sedentos seus corpos molhados em secura
Morde lambe e sussurra a poesia do amor
Simples se comem com cobertura de suor
Repletos de paixão se arrastam a procura dos sonhos
Rasga a pele com unhas e dentes que marca a posse
Molha a chuva frutificando o solo
Explode os orgasmos em comunhão do instante
Precisamente regam-se de primavera em pleno verão
Calor do sexo mais que precioso
Frescor da alma em encontrar seu par
Simples é fazer-se amar



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

Nenhum comentário:

Postar um comentário