sexta-feira, 31 de agosto de 2012



Rendas de um vestido rodado envolvente
Carente de um sorriso e ávida de amor
Com asas de sua felicidade
Amparada em suavidade esplendorosa mulher
Com olhos alegres e brilhantes
A viagem constante a coragem de viver
Seus pés que caminham as nuvens
Formada de sonhos refaz seu viver
Altiva em sua formosura
Fazendo do vento seu canto de amor
O som se propaga nas alturas
Tanta belezura impossível não sentir
Venho de alma liberta oferecer-me pra esta
Linda a flor quero lhe dar
Aceite em um compromisso
Farei do infinito um lugar pra morar
Ser-te-ei o príncipe mais fiel
Buscarei o céu para sempre brilhar
Ofereça sua mão de ternura
Beijarei com o amor que habita em mim
Seremos a felicidade
Em amor e bondade farei tudo por ti
Ama-me e me acolha em seu ventre
Semearemos no mundo nossas cores e amores
Banharemos a chuva com fagulhas de Sol
Uma dança de amor




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

quarta-feira, 29 de agosto de 2012



Linhas que definem um rosto
Delimita as formas em silhueta
Em um cordão faz o desenho
Retoma a condição personificando
Suaves e tênues
Um rosto se forma
Olhar que marca e vive
Inspiração heteromorfa em sublimação
Contraste de uma conspiração
Feito de tinta ou carvão
Da pele moldada de uma canção
Bela e intrigante neste designer
Dos traços a força
Leveza magnífica destoando no mundo
O reflexo paradisíaco em salvação
Amabilidade no ímpeto de conquistar
O verso continuo soprado no ouvido
Acontecendo o amor descrito
Linhas que intrigantemente faz você tão única
Ressurge em meu peito o amor
Os riscos encontrando a divindade
O sonho se transformando em razão
As clausulas de um infinito contrato
Parágrafos na gravura iluminada
As facetas de um diamante
Reluz de uma estrela marcante
Liminar de um texto régio
Marcas que ultrapassam o tempo
Berço do amor em suas teias
Consagração de um imenso sonho
Escrever-te em suas sinuosas linhas



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

terça-feira, 28 de agosto de 2012



Entremeio do seu corpo abriga-me
O ápice de meu mais louco querer
Balbuciando em delírios seu nome
A cor mais linda em seu olhar
Nosso sexo que derrama minha alma
Brota a fúria da possessão que a nós domina
A delícia que na boca sente o beijo
Entre línguas a mordida incontida de tesão
Ser os lábios a busca que instiga
O sabor misturado de desejos
Ser do outro o prazer amor e amar




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

domingo, 26 de agosto de 2012



Entorpecido de uma visão majestosa
Um seguimento de fantasias e amores
O ato consumado de meu amor
As vertes de seda que margeia seu corpo
Meu prazer em tocar e sentir o toque
Em uma brincadeira de verdades
Tomamo-nos para uma dança
Os olhos que fitam e se fecham
Imaginando em segredos o que queres
As voltas dos corpos que se retorcem sem dor
Exclamando o amor que explode sem ruir
Sangue que preenche os corpos sedentos
Rubros e acesos querem tanto se unir
Penetrar por completo as ânsias desse desejo
Fazer a parte integrada de o infinito sonhar
Mostrar-se em nudez querendo a possessão
Arrastar-se no chão em um coito prolongado
Seduzir-se em loucuras que se rompe da carne
Resplandecer em um orgasmo impudico e solto
Das loucuras mais sanas é ao amor se entregar
Sentir os opostos tão únicos e belos
Ser terno e doce quando se sabe amar
Se vista de amor para encontrara às saídas
Aprisione-se em paredes quando não se deixa amar
O amar é o leme pra quem espera chegar



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

sábado, 25 de agosto de 2012



Beijo com sabor de lagrimas
Mortais e sedutores
Morder seus labios tirando suas vestes
Deixando pelo chão
Nosso caminho...
Deitar-te em nosso tapete
Colher seu frutos
Minha donzela
Abocanhar seu intimo
Sugar o suco de teus delírios
Acariciar seu corpo em meu domínio
Sentir me pressionado por entre suas coxas
A pele alva em pureza
Arrepiada de sua loucura
Deixando a alma de felina nas alturas
Seduzida e entregue aos meus deleites
Excitada rendida em fantasias
Meu ser instintivamente macho
Buscando o gosto em seu labios de meu néctar
Que brota em gotas induzido por seus labios
Fascina-me com sua volúpia e lascividade que me quer
Morder-te as costas acariciando seu intimo
Apossando-me do desejo de ter sua alma em corpo
Sinto meu corpo em tremor enlouquecido
Vergo-me as costas e deixo um mar banhar seu ser
Cair em seus braços ternos e languidos de meu amor
Ser o amante mais completo em seu ser




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012



Nesta noite estivemos juntos
Dos absurdos que imaginamos
A saliva que trocamos em beijos e lambidas
O real aconteceu em nossa mutabilidade
Estivemos emaranhados em teias de sedução
Pelos cantos em pelos e lisinhos
Lubrificados por fluidos deste amor
Nem sonho nem utopia
Acariciando seus seios com carinho
Excitando sua pele e instigando seu prazer
Bocas que se mordem
Lábios desejosos de um toque
Escorre o suor que umedece
Viril...
Abrindo a vontade satisfazendo o apetite
O aroma do prazer que inebria
A mordida que percorre as costas
Resvalo do ascendente que toca os glúteos
Dinâmica deste movimento em alavanca
Completa nossa forma de amar o outro
O coito em sua magnitude e complacência
Servir-se de seu pescoço nu
Que ao toque se modifica
Rompendo o gemido em um grito
Orgasmático foi o encontro de nossos prazeres
Colhemos os frutos semeados pelo tempo
Deixamos a saudade e fizemos amor




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

quarta-feira, 22 de agosto de 2012



Vinho!...
Em vinhedas serenas brota a boemia
Seduzindo com aroma e tamanha beleza
Colhido com o carinho das caricias femininas
Eclodindo das tenras frutas o intenso sabor
Ritual de magia que envolve os segredos
Das uvas e castas a nobreza se prontifica
Toques de sutilidade que inebria a mente
Suspiros de sabor de um suave e marcante sabor
Cristalino ou rubro se mostra majestoso
Dos romances a marca do eterno encontro
Guardado pelo tempo que rompe e penetra
As misturas etéreas que denotam o desejo
Vestidos em cálices acariciados nos lábios
Ternura...
Saboreando o bom vinho esmagado em uma dança
O desejo se lança num exótico sabor
Regiões desta deliciosa geografia
Estupenda mistura que incorpora a delicia
Pericia da arte de espreitar o desejo
Respirando com a calma do beijo longo entre os lábios
Envasando as volúpias que traz o prazer
Em um corpo que calmo recebe o toque
Magia...
Colher na textura da pele rubra
O calor que um bom vinho proporciona
Refrescando no sexo todo esse furor
Desloucados e ébrio encontrando as maravilhas
De uma viagem fantástica de fantasias sem fim




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

terça-feira, 21 de agosto de 2012



Em sua jovialidade busca os prazeres
Em uma dança fervorosa encontra o destino
Entre os corpos a encenação de todos os espetáculos
Ardente em seus devaneios abocanha em um beijo
Tenaz seu desejo de romper com os pudores
Desnuda-se insinuante querendo o prazer
Levando aos delírios de um ato de amor
O abraço das pernas deixando exposto seu ventre
Alva pele que enrubesce ao toque
Dedilhada soltando seu som em gemidos
De forma magnífica empinada e durinha
Aninha-se dengosa mordendo os lábios
Em gangorra frenética encontra o compasso
Deliciada de sonhos se fazendo em amor
Se perdendo em ardência
Encontrando o frescor
Em um rio que semeia todo meu amor




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

domingo, 19 de agosto de 2012



Fazer das veste o chão retorcido
Desnudos em uma só sintonia
Conjunto de formas cristalinas
Mãos que não se contentam
Encontrando novos caminhos apalpando e querendo
Fascínio hipnose...
Tramar um insólito encontro
A misericórdia em um beijo de línguas intrépidas
O abraço que dobra a vergonha liberta a libido
Corpo de oásis que me faz sultão
Nesta tenda os milagres são contínuos
A boca induz a inspiração
O flerte detonando a fagulha
Explode a loucura sem modos só delicias
Massageando seu corpo com o corpo
Estridentes sons que se rompe no silêncio
Não querer!
Não existe...
Dominemos em exaltação
Premunição de um delicioso orgasmo
Apreciação desta casta divina
Amor em seu cálice servido de seu ventre
Ressurgido do amor e sua incontrolável beleza



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)


Beber o vinho em seu corpo
Fantasiando e querendo a máxima do amor
Em nosso escândalo de fogo
Labaredas que queimam num coito
Em cascata em sua vulva
Buscando as gotas de seu orvalho e vinho
De sua safra onde repousa sua essência
Curvo-me com a face entre suas colunas
Penetro adentrando em seu castelo
Virgem de minha eterna busca
Em seus lábios encontrarei seu segredo
Em suas montanhas rega o vinho escorrendo
Inundando seu ventre embriagando-me de você
Que te faça por horas a loucura
Em sua genitália apossando de seu segredo
Quero amar como uma flor pura
Penetrar sua vulva com a língua e desejo
Colocar minha virilidade a sua vontade
Deixar que dançasse em mim suas fantasias
Que beba meu leite em sua garganta
Nunca se esqueça do amor em minha fúria
Esta loucura de amar você sem predicados
Penetrar por entre seus glúteos
Regar-te com minha essência
Escorrer em suas grutas marcando escorrendo
Quero do amor essa intensa loucura
Serei sua cura e deixarei verter a poção perfeita
Minha semeadura por entre a musculatura
Seu orgasmo constante te fazendo mulher
Em fantasia
Completa em magia possuída por mim
Arrepiar seus poros em calor e pele
Devorando-me em gemidos completo tesão
Gozar a felicidade desta cumplicidade
Olhar em seus olhos a paz encontrada no amor
E do jeito que se faz



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

sábado, 18 de agosto de 2012



Recobrir-te-ei de vinho e mel
Seduzirei com a doçura de um Anjo
Encantar-te-ei em minha condução
Dançaras em véus de céu
Em meus dedos terei seu comando
Ouviremos She por Elvis Costello
Estaremos vagando em dimensões
Nossa idolatria serena
Ao centro deste nada nos amaremos
Sejamos gratos ao paraíso de nossas formas
Nossos encaixes que nos toma a verdade
Um romper de um orgasmo infindável
Sussurraremos nossa poesia
Nossa corte e magia
O corpo se enverga de joelhos
Bebendo o vinho de seu mel
Que em sua flor brota ao estimular
Seu ponto fecundo com a língua toco
Causando o tremor vindo de sua alma
A tempestade que existe em seu corpo
A aventura desta escalada
O grito uivado de você loba em coitolimia
Transcende as alturas e divindades
Faz-se MULHER por todas as formas
Felina em um cio constante
Vazante e jusante deste mar em desejos
Seremos a gangorra buscando o equilíbrio
O chicote que marca na pele e busca na ponta
Castigaremos com o falo encravado na greta
Deitaremos na relva estaremos cansados em amar
Buscando na sede e fome, o sempre amor




Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)


Qual beijo invade sua privacidade
Romper o lacre violando seus pudores
Tocar seu intimo liberando suas feras
Abocanhar seu corpo e penetrar em sua vontade
Fazer-te refém de meus desejos
A força sua imensa loucura
Amarrar seus desejos em minhas fantasias
Tomar...
Armar o mastro e soltar suas velas
Navegar sem destino em seu olhar de oceano
Encontrar em seus continentes a acolhida
Morada em sua gruta e me aquecer
Beber o hidromel que verte em veios de seu corpo
Expandir-me e vibrar em mesma sintonia
Arrebatar seu amor com o meu querer



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)

sexta-feira, 17 de agosto de 2012



Calor!...
Hummm...
Assim é bom!
Refrescar-te-ia com beijos em seu contorno
Buscando sua suavidade de mulher
Entre seus labios jorraria o refresco de meu licor
Encontro prazeroso de nossa libido
Os sabores entrelaçados em desejos e fúria
Nossa divina busca escorrendo em seu corpo
O suor em brasas rubras e umedecidas
Onde a morada dos desejos seduz em seu veneno
O cálido querer que enaltece e condena
Uma noite de amor em lençóis de linho e seda
Sua pele em seus devaneios de mulher
Farei de sua boca meu oásis
De seus labios minha morada
Se seus segredos minha prece
De seus mistérios minha fantasia
Estarei onde me quiseres
Farei de tu todas as mulheres
Verterei em um orgasmo
Sentindo o seu prazer
Regaremos juntas as mais loucas fantasias
Deliciaremos dos sabores impudicos
Da fome a mais deliciosa vontade
Do amor nossa única realidade



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)


Ver seus ombros sensuais que me encantam
Em seus labios te escrevo em caricias
Fêmea que se liberta em mim
Trago a fragrância delicada de sua alma
Com voracidade me tens em seus devaneios
Seus olhos brilhantes reflete a água verdejante
Sentir suas entranhas em febre
Tamanha força que te invade
Rompe o silencio em um gemido
Em suas coxas uma erupção do espirito
Ama-me com o calor do vulcão
Emanam de sua aura as cores em uma dança
Aurora...
Linda que me quer em seus labios
Acendendo a libido de sua força feminina
Abraça-me com seu corpo em brasa
Louca em desejos adorna a mais linda joia
Ser divino e sensual
Percorro seu colo com meus labios e língua
Mordendo a pele e seus mamilos
Beberiscando o suor e seu aroma
Sinto-te entregue em querer completo
De formas ereta estou eu a te amar
Seja sempre a posse nosso enredo
A dança que nunca pode parar



Helio Ramos de Oliveira
ISBN 978-85-7923-552-8
Lei de direito autoral (nº 9610/98)