quarta-feira, 4 de abril de 2012



Domina-me com sua alma em fúria

Acolha-me entre seus seios

Encante-me com suas canções

Delicie-me com seu sabor

Mata-me a sede de seu veneno

Beba-me em cálice de um nobre licor

Faça-me absoluto

Alimente-me com sua carne

Dessedente-me em seu oásis de vinho

Ata-me ao seu corpo de fêmea

Ligue-me ao tempo

Me - vista de seus desejos profanos

Desnude-me de minha natureza pudica

Encoste-me em parede macia

Escuta-me gemer

Ouça-me quando sussurrar seu nome em urros

Peça-me o máximo de minha virilidade

Alivia-me da sentença

Receba-me em um jorro estrondoso

Orvalhe-se... Sinta espargir minha essência

Colha-me em seus lábios

Sinta-me em seu ser

Completa-me em minha fortuna

Deseje-me como seu sempre amante

Ama-me como a si mesma

Amo-te como nunca deixarei de amar





Helio Ramos de Oliveira

Lei de Direito Autoral (nº 9610/98)

Nenhum comentário:

Postar um comentário